SEGUNDA FEIRA, 20 DE MAIO DE 2019
Plantão
Destaques

Já são 38 as mortes confirmadas por dengue em Minas Gerais neste ano

Publicado dia 14/05/2019 às 13h41min
Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, é a cidade com o maior número de óbitos, 10. Em 2019, foram registrados mais de 240 mil casos prováveis da doença.

m 2019, 38 pessoas morreram de dengue em Minas Gerais, de acordo com boletim divulgado nesta segunda-feira (13) pela Secretaria de Estado de Minas Gerais (SES). Em uma semana, 13 novos óbitos foram registrados no estado. Já são 247.602 casos prováveis, um aumento de 38.326 registros em uma semana.

Os óbitos foram registrados em:

 

  • Betim (10)
  • Belo Horizonte (4)
  • Uberlândia (8)
  • Contagem (2)
  • Unaí (2)
  • Arcos (1)
  • Frutal (1)
  • Ibirité (1)
  • Paracatu (1)
  • Curvelo (1)
  • João Monlevade (1)
  • Lagoa da Prata (1)
  • Martinho Campos (1)
  • Passos (1)
  • São Gonçalo do Pará (1)
  • Uberaba (1)
  • Vazante (1)

 

Outros 92 casos estão sob investigação.

Casos prováveis da doença, de acordo com o balanço:

 

  • BH (29.695)
  • Contagem (8.578)
  • Betim (1.749)
  • Ribeirão das Neves (2071)
  • Ibirité (2.093)
  • Santa Luzia (1.258)

 

A SES ressalta que as mortes foram notificadas ao longo do ano e não são, necessariamente, óbitos recentes.

 

Emergência

 

O governador Romeu Zema (Novo) decretou situação de emergência em saúde pública em parte do estado como medida para conter o avanço da dengue. O ato, que foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais, abrange o Centro, Noroeste, Norte, Oeste e Triângulo Mineiro.

Por causa de problemas técnicos, os dados de chikungunya e zika não foram divulgados neste boletim. De acordo com o balanço divulgado no dia sete de maio, Minas Gerais registrou 1.587 casos prováveis de chikungunya em 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.

Já em relação à zika, foram registrados 650 casos prováveis da doença em 2019, até o dia seis de maio.

A SES disse que um registro maior de casos é esperado para este período (meses quentes e chuvosos) devido à sazonalidade da doença. Dessa forma, o estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika).

 

Ações de combate

 

Em relação às ações para controle do mosquito transmissor, a SES informou que tem adotado uma série de medidas de apoio aos municípios que apresentam aumento no número de casos de dengue, zika e chikungunya.

Também foi publicada uma resolução com a aprovação de liberação de recurso financeiro de R$ 4,180 milhões para ações de enfrentamento da dengue nos 93 municípios com incidência alta ou muito alta da doença.

A cada 15 dias, até o dia 30 de junho, de acordo com a divulgação de um novo Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, os municípios com alta incidência irão contar com incentivo financeiro complementar, por meio de resolução específica.

Entre as demais medidas tomadas para diminuir o crescimento do número de casos no estado está a realização de uma força-tarefa, composta por agentes da Saúde Estadual e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) a 10 municípios com alta incidência de pessoas com dengue e alta infestação pelo mosquito.

Fonte: Por G1 Minas