O Diário da Princesa: 10 coisas que você não sabia sobre o filme da Sessão da Tarde de hoje

O Diário da Princesa: 10 coisas que você não sabia sobre o filme da Sessão da Tarde de hoje

*Matéria original de 22/4/2015 e atualizada em 7/01/2021.

Grande sucesso entre quem era adolescente nos anos 2000, o filme O Diário da Princesa, inspirado nos livros de Meg Cabot, estreou nos cinemas em 2002, mas ainda continua super atual. Tanto que a Sessão da Tarde de hoje escolheu o filme de Anne Hathaway para exibir.

Há 13 anos, a produção fez muitas meninas quererem se tornar monarcas modernas como Mia Thermopolis (ou melhor Amelia Mignonette Grimaldi Thermopolis Renaldo, princesa de Genovia), interpretada por Anne em seu primeiro filme. Com uma continuação em 2004, infelizmente a produção não virou uma trilogia ainda, apesar de não faltarem conversas sobre.

ANNE HATHAWAY ERA ATRIZ REVELAÇÃO

O Diário da Princesa foi o primeiro filme de Anne Hathaway. Quem diria que a partir dessa produção adolescente da Disney, o mundo descobriria esta bela e talentosa atriz? Hoje ela tem até um Oscar por Os Miseráveis e já provou que sabe “dublar” Miley Cyrus muito bem.HATHAWAY CONSEGUIU O PAPEL AO CAIR

Anne Hathaway conseguiu o papel porque ela era tão desajeitada quanto a personagem Mia. Ela caiu da cadeira durante a audição e, então, os produtores souberam que tinham encontrado a sua princesa.CABELO E MAQUIAGEM FALSOS PARA DAR VIDA A MIA

Grande parte do cabelo de Mia antes da mudança completa era, na verdade, falso. Ainda bem, né, Anne Hathaway! Os cineastas adicionaram outra camada de fios ao cabelo natural da atriz para lhe dar um visual mais volumoso. Quanto às sobrancelhas, levava uma hora todos os dias para dar aquele visual espesso e masculino a elas.PAI E FILHA JUNTOS EM CENA

O pai de Mia, o príncipe Renaldo, foi interpretado pelo pai verdadeiro de Anne Hathaway, Gerald Hathaway. Na verdade, não o vemos muito em cena: só em uma foto no quarto de Mia e em uma filmagem de costas escrevendo para ela. O príncipe de Genovia, como em qualquer produção da Disney, morreu no início do filme por razões desconhecidas.FAMÍLIA DO DIRETOR EM PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS

Charlotte, a assistente da rainha, é interpretada pela filha do diretor Garry MarshallKathleen Marshall. A neta do cineasta também participou do filme, como a menininha que pede o autógrafo de Mia.INTÉRPRETE DE MICHAEL É MÚSICO NA VIDA REAL

No filme, o personagem Michael Moscovitz toca piano na banda Fly Paper. Na vida real, o ator Robert Schwartzman, intérprete de Michael, tem a banda Rooney na qual ele toca guitarra e canta. Podemos vê-lo tocando guitarra rapidamente em uma cena na escola. A primeira versão do single de Rooney foi tocada no filme e se chama “The Blueside”. O motivo para o personagem de Michael não aparecer no segundo filme foi porque Schwartzman estava fazendo uma turnê mundial com a sua banda. Curiosidade: o ator é primo de Nicolas Cage e irmão de Jason Schwartzman. JULIE ANDREWS GANHOU HOMENAGEM DO ESTÚDIO

O Diário da Princesa foi filmado no Estúdio 2 dos Estúdios Walt Disney em Burbank, na Califórnia. Foi nesse mesmo local em que Mary Poppins foi gravado. Julie Andrews participou das duas produções, como a babá Mary Poppins no filme de mesmo nome e como a avó de Mia, Clarisse Renaldo, em O Diário da Princesa. Por isso, em 2001, o Estúdio 2 foi nomeado em sua homenagem e hoje se chama The Julie Andrews Stage.ROMANCE DA RAINHA IMPROVISADO

O relacionamento de Clarisse e Joe não estava no roteiro. Hector Elizondo e Julie Andrews tiveram a ideia de fazer a cena da dança entre eles, assim como de mostrar o carinho oculto que eles tinham um pelo outro.FORAM USADAS JOIAS DE VERDADE NO FILME

A Rainha de Genóvia tinha joias caras. As jóias que Julie Andrews usou na cena final do filme custaram meio milhão de dólares, e foram emprestadas da joalheria Harry Winston. A tiara usada por Anne Hathaway foi feita especificamente para ela, e foi feita basicamente de zircônia cúbica – por isso custa bem menos.SEQUÊNCIA NÃO FOI BASEADA NA SÉRIE DE LIVROS DE MEG CABOT

Ao contrário do que muitos pensam, o segundo filme da franquia, O Diário da Princesa 2, lançado em 2004, não apresenta fatos citados nos livros de Meg Cabot, mas foi inspirado nos seus personagens. Este filme se tratou de uma história independente. Entretanto, apesar da continuação cinematográfica falar do Casamento Real, é no último livro da saga, lançado em junho de 2015 nos Estados Unidos, que Cabot retrata o casamento da princesa Mia. Royal Wedding (nome original) foi publicado seis anos após o lançamento do último exemplar, Princesa Para Sempre.

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: