Restrições são retomadas em países da Europa para conter aumento nos casos de coronavírus

Restrições são retomadas em países da Europa para conter aumento nos casos de coronavírus

Países da União Europeia voltaram a decretar medidas de distanciamento social e restrições de deslocamento para conter um novo avanço da pandemia de Covid-19 na região. Nesta sexta-feira (18), a capital da Espanha decretou o bloqueio em zonas que abrigam 13% da população de Madri.

No sul da França, a cidade de Nice voltou a proibir reuniões de mais de 10 pessoas em espaços públicos. A Dinamarca e a Grécia já oficializaram também a imposição de limite de pessoas em reuniões, fechamento de bares e o aumento nas restrições em áreas mais afetadas.

No sentido contrário, o governo da Itália anunciou que, a partir do próximo domingo, as competições esportivas ao ar livre poderão receber até 1 mil espectadores.

Fora do bloco europeu, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, reconheceu que uma segunda onda de contágios pelo coronavírus é inevitável, mas procura não falar em um novo lockdown – fechamento total do país.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou preocupação nesta quinta-feira (17) com a aceleração da pandemia na Europa em setembro. No dia 11, segundo a entidade, o continente alcançou um recorde diário de casos, com 54 mil registros em 24 horas.

Fechamento em Madri

Epicentro da pandemia da Covid-19 na Espanha, o governo de Madri anunciou que, a partir da próxima segunda (21), moradores de algumas áreas da capital terão restrições de mobilidade. A medida afeta cerca de 13% da população da capital.

Os moradores destas zonas poderão sair de seus bairros apenas para tratar de “questões básicas”, como trabalhar, ir ao médico, ou levar os filhos à escola. Além disso, reuniões estarão limitadas a um máximo de seis pessoas. A Espanha em mais de 640 mil casos confirmados de Covid-19.

Restrições em Nice (França)

A cidade de Nice, na Riviera Francesa, vai proibir as reuniões de mais de 10 pessoas em espaços públicos. A medida tenta conter uma alta no número de infecções por Covid-19 na região. A cidade tem uma incidência 3 vezes maior que a do resto do país – com 150 casos por 100 mil habitantes.

Apenas nas últimas 24 horas, a França registrou um recorde de 13.201 casos novos confirmados de coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Essa foi a contagem diária mais alta do país desde o início da pandemia.

Reino Unido: ‘2ª onda de contágios é inevitável’

O novo coronavírus está em aceleração em todo o Reino Unido, com as internações por Covid-19 dobrando a cada oito dias, disse nessa sexta o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock. Ele não confirmou, no entanto, se outra quarentena nacional será imposta no próximo mês.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, afirmou que uma segunda onda de contágios de coronavírus é inevitável, mas disse que não quer decretar uma nova quarentena, e que há estudos sobre todas as possibilidades.

O Reino Unido tem o 5º maior número de mortes provocadas pelo novo coronavírus do mundo, atrás de Estados Unidos, Brasil, Índia e México, de acordo com dados da universidade americana Johns Hopkins.

Dinamarca e Grécia

Na Dinamarca, a primeira-ministra Mette Frederiksen decretou que o limite de pessoas em reuniões públicas vai ser reduzido de 100 para 50 pessoas. Além disso, bares e restaurantes fecharão mais cedo. Na sexta-feira, o país registrou 454 novas infecções, número próximo ao recorde de 473 em abril.

Na Grécia, que saiu praticamente ilesa da primeira onda de Covid-19 que atingiu a Europa em março e abril, o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis disse que o governo está pronto para apertar as restrições na área da grande Atenas à medida que os casos se acelerassem.

Italia amplia a reabertura

Diferente dos outros países da região, a Itália já anunciou a volta de competições esportivas com torcida de até 1 mil pessoas. A medida passa a valer a partir de domingo, às vésperas do início da nova temporada do futebol.

A Itália, que no fim de agosto registrou o maior número de novas infecções por Covid-19 desde maio, reabriu a maioria das escolas na segunda-feira (14). O país registra 293 mil casos totais e 35,6 mil mortos pela doença.

FONTE: G1.COM

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: