Bolsas da Europa fecham em alta, beneficiadas por dados da China

Bolsas da Europa fecham em alta, beneficiadas por dados da China

Os principais índices europeus encerraram a terça-feira (15) com ganhos, pegando impulso na recuperação da atividade econômica chinesa, atestada nos dados de produção industrial e vendas do varejo no país.

O índice Stoxx 600 Europe terminou a sessão com ganhos de 0,66%, aos 370,96 pontos. Em Londres, o FTSE 100 subiu 1,32%, a 6.105,54 pontos, enquanto, em Frankfurt, o DAX avançou 0,18%, aos 13.217,67 pontos. Em Paris, o CAC 40 subiu 0,32%, a 5.067,93 pontos. Em Milão e Madrid, as referências tiveram ganhos de 0,82% e 1,22%, respectivamente.

Na China, os dados econômicos mostraram que a recuperação da segunda maior economia global continuou acelerando em agosto. As vendas no varejo do país voltaram aos níveis pré-pandemia, subindo 0,5% na comparação com agosto do ano passado. A produção industrial chinesa, por sua vez, subiu 5,6% na comparação anual, superando as já elevadas expectativas de consenso.

“Os detalhes disponíveis mostram que os gastos das famílias foram bastante fortes, em geral, no mês passado, com apenas as vendas de joias e móveis caindo em termos reais, em relação ao mês anterior”, disse Miguel Chanco, economista sênior para a Ásia da Pantheon Macroeconomics.

A perspectiva de melhora na segunda maior economia do mundo deu impulso aos ativos de risco globais. O setor de construção e materiais do Stoxx 600 liderou os ganhos diários dentro do índice, em alta de 1,07%.

“Os dados chineses deram um impulso às ações na Ásia e no comércio europeu, enquanto o câmbio permaneceu estável, em uma sessão tranquila, com pouco fluxo de notícias adicionais para mover os preços”, afirmou o diretor executivo da BK Asset Management, Boris Schlossberg.

As ações da H&M saltaram 10,79% em Estocolmo, uma vez que a varejista de moda sueca disse que seu trimestre encerrado em 31 de agosto foi mais forte do que o esperado, ajudado por coleções bem recebidas, mais vendas de preço total e controle de custos. A rival Inditex, dona da Zara, subiu 5,15% em Madrid.

Já as ações da Faurecia — fabricante francesa de pelas automotivas — recuaram 6,59%, depois que a Peugeot disse que atrasaria a distribuição de suas ações no fornecedor para a Fiat Chrysler até que a fusão fosse concluída. As duas montadoras estão alterando seu acordo de fusão, e os acionistas da Fiat Chrysler receberão um dividendo menor.

“Apesar da revisão dos termos, continuamos positivos [na Fiat Chrysler], pois acreditamos que a fusão representa uma das poucas histórias de agregação com um forte valor industrial a nível europeu”, disse Martino De Ambroggi, analista da Equita. Os papéis da Fiat dispararam e subiram 9,01% nesta terça-feira (15).

FONTE: G1.COM

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: